• 44 98813-1364 / 44 3123-6000
  • contato@iefap.com.br
  •  


7 dicas para lidar com a rinite alérgica no inverno


 

A queda da temperatura e o tempo seco típicos do outono podem agravar ou desencadear crises de rinite alérgica em uma parcela significativa da população brasileira. Aproximadamente de 10% a 25% das pessoas apresentam o problema em algum momento. Para evitar ou amenizar os sintomas que tanto incomodam – prurido nasal, espirros e coceira no nariz e nos olhos – é preciso tomar alguns cuidados.

De acordo com o otorrinolaringologista  Fabrízio Ricci Romano, a  rinite alérgica é uma inflamação da mucosa (pele fina e úmida) que recobre a área interna do nariz e acontece quando o órgão se defende de agentes que estão no ar, como pólen e poeira. Com o clima frio, o nariz costuma “trabalhar mais” para ativar a respiração e manter o corpo aquecido, por isso fica mais sensível.

“A rinite alérgica é uma resposta exagerada do sistema imunológico e, geralmente, o fator genético contribui para o aparecimento da doença”, afirma o Dr. Fabrizio. “A questão é que a maioria das pessoas com rinite não sabe que tem a doença, e acaba não realizando o tratamento de forma adequada.  Consequentemente essas pessoas passam parte da vida, especialmente no outono e inverno, com o nariz entupido, espirrando e com coceira no nariz e nos olhos”, explica o médico. 

Para tratamento medicamentoso, é importante consultar o especialista, que pode identificar o tipo de rinite – se é alérgica, medicamentosa, irritativa ou vasomotora – e prescrever o tipo correto de remédio. Para a rinite alérgica, o tratamento não precisa necessariamente ser feito com corticosteroides. Existem outras alternativas, como a aplicação do spray nasal antialérgico (anti-histamínico), que promove um rápido alívio dos sintomas.  “O paciente nunca deve se medicar por conta própria. É um risco para a saúde e pode trazer efeitos indesejados e agravar o problema”, explica o  médico. 

Tempo seco e aumento da poluição no ar

Basta o friozinho aparecer que quem tem rinite alérgica começa a sentir os sintomas. Mas por que os casos do problema aumentam no outono e inverno? 

Além da maior sensibilidade do sistema nasal, a falta de chuva aliada à baixa umidade do ar e ao aumento da poluição são fatores agravantes, que causam maior ressecamento e congestão nas vias aéreas. No frio, é comum que as pessoas mantenham os ambientes mais fechados, o que facilita a propagação dos germes. Por fim, os casacos que ficam guardados durante todo o ano – e que podem se transformar em colônias para ácaros e fungos – são retirados dos armários e colocados em uso.  

Confira as 7 dicas do Dr Fabrízio Ricci Romano, para aliviar os sintomas da rinite alérgica:

1) Para diminuir o desconforto causado pela rinite e “driblar” o clima seco e frio: vale lavar as narinas com soro fisiológico
2) Umidificar o ambiente com umidificadores de ar ou mesmo bacias de água. “Mas temos que tomar cuidado para não exagerar, pois o ambiente muito úmido favorece a proliferação de ácaros e de mofo”, alerta o especialista. 
3) Manter os ambientes limpos
4) Trocar os lençóis de cama uma vez por semana e lavar todas as roupas de inverno antes de serem usadas
5) Deixar as janelas abertas para o ar circular no ambiente
6) Evitar poluição, fumaça de cigarro e outros odores fortes, como perfumes e produtos de limpeza
7) Hidratar-se e alimentar-se bem.

Fonte: http://www.segs.com.br/so-saude-segs/162521-confira-7-dicas-para-lidar-com-a-rinite-alergica-sem-sofrimento.html

_______________________________________________________

10 BONS MOTIVOS PARA FAZER SUA PÓS-GRADUAÇÃO NO IEFAP

CLIQUE NA IMAGEM PARA SABER  MAIS SOBRE OS CURSOS

 

1) Aquisição de conhecimento teórico e prático direcionado à área que deseja atuar;
2) Professores qualificadíssimos, de várias regiões do Brasil;
3) Aumento da procura pelo profissional e, consequentemente, aumento da renda em até 80%;
4) Aulas presenciais e com horários flexíveis para facilitar a conciliação com os horários do aluno;
5) Faculdades parceiras com cursos reconhecidos pelo MEC;
6) Sistema de descontos para pagamento em dia e descontos cumulativos por indicação;
7) Coffee break delicioso e variado durante os intervalos das aulas;
8) Possibilidade de conhecer outras pessoas da área de atuação e fortalecer os contatos profissionais;
9) Interatividade entre o aluno e o IEFAP através do portal on-line;
10) Atendimento humanizado. Equipe dedicada e comprometida com a missão da empresa: transformar a vida das pessoas através da educação, contribuindo para torná-las capazes de transformar a sociedade onde estão inseridas, melhorando sua qualidade de vida.

Venha nos conhecer!

MAIS INFORMAÇÕES:

GERAL:
www.facebook.com/pos.iefap
contato@iefap.com.br

BELÉM:
belem.iefap.com.br
(91) 3266-3100 / (91) 8830-6323 (Oi) / (91) 8496-6335 (Claro) / (91) 8369-6260 (Tim) / (91) 9147-3765 (Vivo)
Travessa Mauriti, 1771/A – Pedreira

MARINGÁ:
maringa.iefap.com.br
(44) 4141-2071  /  (44) 9975-7199 (Tim)
Av. Advogado Horácio Raccanello, 5415, loja 1 - Zona 7

LONDRINA:
londrina.iefap.com.br
(43) 3024-4071 / (43) 9975-1909
Rua Fortaleza, 91 (Parceria com Colégio Nobel)

CASCAVEL:
cascavel.iefap.com.br
(44) 4141-2071 / (45) 9999-5388

TERESINA:
teresina.iefap.com.br
(86)8817-3446 / (86)8151-9560 / (86)9949-5269



Compartilhe!


Leia também

7 frutas que os diabéticos podem comer

Uma alimentação saudável requer variação de nutrientes e alimento...

Uma alimentação saudável requer variação de nutrientes ...

Uma alimentação saudável requer variação de n...

saiba mais