• 44 98813-1364 / 44 3123-6000
  • contato@iefap.com.br
  •  


Especialistas dão dicas para evitar o ronco


 

Você já acordou com o próprio ronco? Ou com alguém incomodado, pedindo pra você parar de roncar e permitir o sono alheio? Ou você acordou no dia seguinte e ouviu vários comentários - inclusive sarcásticos - sobre você parecer um "trator" enquanto dorme? Então essa Utilidade do Dia é pra você!

Se você ronca, certamente não foi o primeiro a saber. Mas, ao contrário do que se imagina, o som decorrente da vibração dos tecidos da região da faringe não torna vítimas apenas aqueles obrigados a acostumar com o barulho. “O problema pode ser sintoma de diversos problemas de saúde e ainda causa constrangimento, principalmente, quando se dorme fora de casa”, aponta o otorrinolaringologista Fábio Lorenzetti, diretor da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORLCCF). Conheça hábitos e condições que favorecem o ronco:

Perca peso

Embora a parte do corpo que mais evidencie o excesso de peso seja o abdômen, a deposição de gordura também ocorre na região do pescoço. “Isso prejudica a passagem de ar, devido ao estreitamento da faringe”, afirma a otorrinolaringologista Fernanda Martinho, da Unifesp e da diretoria da Associação Brasileira do Sono. Por isso, qualquer tratamento do ronco é mais eficiente se for acompanhado de perda de peso. Isso não quer dizer, é claro, que pessoas no peso ideal não ronquem, mas a probabilidade é bem menor.

Descubra se tem apneia do sono

O ronco é o principal sintoma da apneia do sono. “Essa doença se caracteriza pela redução da oxigenação do sangue, isso acontece devido a interrupções da respiração causadas pelo estreitamento das vias aéreas”, afirma o otorrinolaringologista Fábio. Neste caso, o ronco precisa de tratamento, uma vez que essas oscilações de oxigênio aumentam o risco de complicações cardiovasculares e podem levar a um infarto. Para identificar se você sofre do problema, recomenda-se fazer um exame de polissonografia em que o sono é monitorado e as atividades fisiológicas avaliadas por um especialista.

Modere no consumo de álcool

“O álcool, assim como alguns tranquilizantes e medicamentos para dormir, relaxa a musculatura do corpo”, afirma a especialista Fernanda. De dia, isso não costuma ser problema. De noite, entretanto, o resultado é um afrouxamento exagerado dos músculos, uma vez que eles já ficam naturalmente mais relaxados quando dormimos. Por isso, mesmo quem não ronca habitualmente, pode ter o problema nos dias em que consome bebidas alcoólicas.

Trate as alergias respiratórias

Pessoas que sofrem de alergias respiratórias, como a rinite alérgica, estão frequentemente com o nariz entupido, o que pode contribuir com o ronco. “O barulho pode ser decorrente do esforço feito para respirar ou da alternativa encontrada para a congestão nasal: respirar pela boca”, diz o especialista Fábio. Neste caso, a solução é tratar a alergia.

Evite dormir de barriga para cima

“A pior posição para quem ronca é dormir de barriga para cima”, afirma a otorrinolaringologista Fernanda. Segundo ela, pela ação da gravidade e pela retração da língua para trás, há um estreitamento da passagem de ar, o que aumenta a vibração dos tecidos da faringe. Ela recomenda dormir de lado ou de bruços para evitar a obstrução.

Alinhe os dentes

“Problemas na arcada dentária ou no alinhamento dos dentes podem favorecer o ronco”, afirma o cirurgião-dentista Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes, consultor científico da Associação Brasileira de Odontologia (ABO). Segundo ele, os dentes em posição incorreta também podem ser decorrentes da própria respiração bucal. A solução, neste caso depende não só do dentista, mas também do otorrinolaringologista, que irá tratar a raiz do problema.

Identifique problemas anatômicos

A obstrução da respiração pode ser decorrente de um problema anatômico, como o desvio de septo nasal. “Neste caso, apenas a intervenção cirúrgica é capaz de acabar com o ronco”, afirma o otorrinolaringologista Fábio. Outros problemas estruturais comuns que causam o ronco são amídalas e adenoide aumentadas.

Uso de dilatador nasal

Os especialistas não recomendam o uso do dilatador nasal para evitar o ronco. Segundo eles, o método funciona para um público muito restrito e apenas como paliativo, e não tratamento. “Pessoas com a válvula nasal flácida, por exemplo, podem obter algum benefício, mas a maior parte dos casos de ronco não são decorrentes desse problema”, afirma o otorrinolaringologista Fábio.

Fonte: http://souzasantos.com.br/more/conheca-oito-maneiras-de-parar-de-roncar/

_______________________________________________________

10 BONS MOTIVOS PARA FAZER SUA PÓS-GRADUAÇÃO NO IEFAP

CLIQUE NA IMAGEM PARA SABER  MAIS SOBRE OS CURSOS

1) Aquisição de conhecimento teórico e prático direcionado à área que deseja atuar;
2) Professores qualificadíssimos, de várias regiões do Brasil;
3) Aumento da procura pelo profissional e, consequentemente, aumento da renda em até 80%;
4) Aulas presenciais e com horários flexíveis para facilitar a conciliação com os horários do aluno;
5) Faculdades parceiras com cursos reconhecidos pelo MEC;
6) Sistema de descontos para pagamento em dia e descontos cumulativos por indicação;
7) Coffee break delicioso e variado durante os intervalos das aulas;
8) Possibilidade de conhecer outras pessoas da área de atuação e fortalecer os contatos profissionais;
9) Interatividade entre o aluno e o IEFAP através do portal on-line;
10) Atendimento humanizado. Equipe dedicada e comprometida com a missão da empresa: transformar a vida das pessoas através da educação, contribuindo para torná-las capazes de transformar a sociedade onde estão inseridas, melhorando sua qualidade de vida.

Venha nos conhecer!

MAIS INFORMAÇÕES:

GERAL:
www.iefap.com.br
www.facebook.com/pos.iefap
contato@iefap.com.br

BELÉM:
belem.iefap.com.br
(91) 3266-3100 / (91) 8830-6323 (Oi) / (91) 8496-6335 (Claro) / (91) 8369-6260 (Tim) / (91) 9147-3765 (Vivo)
Travessa Mauriti, 1771/A – Pedreira

MARINGÁ:
maringa.iefap.com.br
(44) 4141-2071  /  (44) 9975-7199 (Tim)
Av. Advogado Horácio Raccanello, 5415, loja 1 - Zona 7

LONDRINA:
londrina.iefap.com.br
(43) 3024-4071 / (43) 9975-1909
Rua Fortaleza, 91 (Parceria com Colégio Nobel)

CASCAVEL:
cascavel.iefap.com.br
(44) 4141-2071 / (45) 9999-5388

TERESINA:
teresina.iefap.com.br
(86)8817-3446 / (86)8151-9560 / (86)9949-5269

SÃO LUÍS:
saoluis.iefap.com.br
(98) 3232-1265 / (98) 8183-8616 – TIM / (98) 8757-0881 – OI
Av. Getúlio Vargas, 1833 – Bairro Monte Castelo



Compartilhe!


Leia também