• 44 98813-1364 / 44 3123-6000
  • contato@iefap.com.br
  •  


Estética: Eles também se cuidam


 

Um estudo divulgado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica em parceria com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica mostra que 23 milhões de pessoas se submeteram a cirurgia plástica no ano de 2013. Desses 23 milhões, três milhões eram do sexo masculino, considerado pelo estudo uma parcela significativa.

Não é de hoje que vemos que cada vez mais os homens estão se submetendo à mágica do bisturi. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, em Goiás, cerca de 17 mil pessoas fizeram alguma intervenção plástica, sendo 80% mulheres e 20% homens com faixa etária entre 25 a 55 anos.

O empresário Alexandre Garbin fez rinoplastia, em 2008 – rinoplastia é uma cirurgia feita com o objetivo de remodelar o nariz, seja com fins estéticos ou fins funcionais. “Fiz a rinoplastia por estética e também questão de respiração. Eu respirava muito pela boca, minha respiração girava em torno de 30% de um lado do septo e outro era zerado. Tinha o nariz enorme, muito desproporcional ao rosto. Tanto que o próprio doutor quis fazer a cirurgia mais do que eu. Foi retirado em torno de 8mm de expessura e 7mm de comprimento.

De acordo com Alexandre, o cuidado pós-operatório é muito importante para que a recuperação seja 100%. “Tem que ter muita atenção, principalmente na primeira semana. Eu comia comida fria, nada de refrigerante, pois o gás incomodava, e banho frio, além de muito protetor solar para não ficar marcado. Após um mês, o nariz desincha bem, mas ainda é preciso cuidado até os seis meses”.

O jornalista Delson Carlos já passou por 12 intervenções cirúrgicas entre lipoescultura, rinoplastia, prótese no queixo e otoplastia – procedimento para corrigir a orelha de abano e enxerto de gordura no glúteo. “Minha primeira cirurgia foi há 17 anos para diminuir o tamanho do meu nariz e arrebitar um pouco. Depois fiz enxerto no glúteo, lipoescultura, otoplastia, sete lipos e prótese no queixo. Agora vou fazer implante de cabelo. Tudo pela vaidade”.

Segundo Delson, a prática de exercício físico não tem idade, mas a cirurgia plástica traz resultado em curto prazo e mais rápido. “O resultado da prática de exercícios físicos é em longo prazo. Na cirurgia não. Você entra gordo e sai magro. Eu particularmente não gosto de exercício físico, mas a idade chegou e preciso ser adepto”.

O resultado das intervenções cirúrgicas eleva a autoestima do paciente e também o bem-estar. É o que afirma Alexandre. “Independente de ser homem ou mulher, o resultado eleva a autoestima. Só não pode haver excessos. É apenas corrigir o que não te agrada. Pra mim, foi uma excelente escolha, melhorou minha confiança. Por enquanto não vejo necessidade em fazer outra cirurgia, mas quando precisar não vejo nada demais. Em prol de melhorar a autoestima e a saúde, recomendo a cirurgia”.

O empresário comenta o estudo realizado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica. “Em relação ao estudo, acredito realmente que vai crescer ainda mais o número de cirurgias para homens, principalmente que ficou mais acessível. Infelizmente a sociedade definiu um padrão de beleza, os homens não podem ter nariz grande, orelha, enfim. Mas o que mais incomoda é o fato de ser tratado diferente, como um cara feio, e isso abaixa a autoestima. Por isso que muitos homens recorrem para dar uma melhorada no visual”, conclui.

Para o jornalista Delson Carlos, a vaidade faz com que a procura das cirurgias plásticas aumentem. “Há a questão da cobrança da globalização e da sociedade moderna. Em minha opinião, cirurgia plástica não tem sexo. Não acho que seja modismo. É uma questão de necessidade”.

De acordo com o cirurgião plástico Pablo Rassi Florêncio, as cirurgias plásticas estão cada vez mais corriqueiras na vida do homem e bem mais aceitas. 

Pablo atribui essa procura ao culto ao corpo e à beleza: "provavelmente são os grandes responsáveis pelo aumento de cirurgias plásticas em todos os segmentos e para o homem não é diferente. A maior facilidade de acesso aos tratamentos médicos e o aumento de cirurgiões plásticos têm também facilitado que as pessoas incomodadas com alguma imperfeição sejam submetidas a cirurgias plásticas".

Estatisticamente as cirurgias mais realizadas em homens são: rinoplastia (cirurgia estética do nariz); cirurgia para correção de ginecomastia (tecido mamarão aumentado em homens); blefaroplastia (cirurgia de pálpebras); lipoaspiração; otoplastia (cirurgia estética das orelhas em abano).

Assim como nas mulheres, a faixa etária que busca intervenções varia conforme a cirurgia que se pretende fazer. Por exemplo: pacientes com orelha em abano procuram realizar otoplastia a partir dos cinco anos de idade (trazidos naturalmente pelos pais) até idade adulta; rinoplastia é mais comum entre 16-40 anos; ginecomastia entre 16-40 anos também; blefaroplastia entre 40-70 anos; lipoaspiração entre 20-35 anos.

Adaptado de: http://www.dm.com.br/texto/189392-eles-tambem-se-cuidam

________________________________________________________________

PÓS-GRADUAÇÃO NA ÁREA DA ESTÉTICA

Clique na imagem para saber mais sobre o curso de seu interesse:
  

MAIS INFORMAÇÕES:

GERAL:
www.facebook.com/pos.iefap
contato@iefap.com.br

BELÉM:
belem.iefap.com.br
(91) 3266-3100 / (91) 8830-6323 (Oi) / (91) 8496-6335 (Claro) / (91) 8369-6260 (Tim) / (91) 9147-3765 (Vivo)
Travessa Mauriti, 1771/A – Pedreira



Compartilhe!


Leia também