• 44 98813-1364 / 44 3123-6000
  • Av. Adv. Horácio Raccanelo Filho, 5620 - Térreo
  • contato@iefap.com.br
  • 44 98813-1364
  • Cedro Hotel - Av. Juscelino Kubitscheck, 200
  • contato@iefap.com.br
  • 44 98813-1364
  • Rua David Caldas, 90 - 1º Andar
  • contato@iefap.com.br
  • 44 98813-1364 / 91 3266-3100
  • Trav. Mauriti, 1771A - Pedreira
  • contato@iefap.com.br
  • 44 98813-1364
  • contato@iefap.com.br
  • 44 98813-1364
  • Espaço Ideal Campinas - R. Romualdo Andreazzi, 677
  • contato@iefap.com.br
  • 44 98813-1364
  • Colégio Padre José Nilson - R. Coronel Manuel Jesuíno, 225 - Mucuripe
  • contato@iefap.com.br
  • 44 98813-1364
  • Avenida Juracy Magalhães Jr - Edf WA Empresarial Sl. 106 - Rio Vermelho
  • contato@iefap.com.br
  • 44 98813-1364
  • SRTVS 701 - Edifício Palácio do Rádio III - Sls 101 a 106
  • contato@iefap.com.br
  • 44 98813-1364
  • Instituto Paulista de Ensino em Medicina - R. Tobias de Macedo Junior, 246
  • contato@iefap.com.br
  • 44 98813-1364
  • contato@iefap.com.br

7 maneiras de diminuir os riscos de desenvolver câncer de mama

\

Estamos em pleno mês de conscientização sobre o câncer de mama, e o que se sabe é que muitos dos casos dessa doença poderiam ser tratados mais facilmente se descobertos com antecedência, e com a adoção de alguns hábitos alimentares, poderiam ser, até mesmo, evitados. Na Utilidade do Dia, veja essas orientações que podem ser determinantes para você, mulher.

O câncer de mama é o segundo tipo de câncer a registrar o maior número de casos, mundialmente falando. No Brasil, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), apenas o câncer de pele não melanoma atinge mais pessoas. Em 2010, ainda de acordo com as informações do Instituto, o país registrou 49 mil novos casos da doença, além de 12.852 mortes em decorrência da mesma. Os altos números que traçam o perfil do câncer de mama no Brasil são, em grande parte, consequência do diagnóstico tardio da maioria dos casos.

O autoexame, além da realização da mamografia após os 35 anos – idade a partir da qual é registrado o maior número de casos -, são fundamentais no combate à doença, bem como manter uma alimentação saudável e controlar o peso. A nutricionista clínica e doutora em medicina tradicional natural, Michelle Schoffro Cook, aponta mudanças importantes na alimentação para quem pretende manter esse mal afastado.

1 – Coma mais fibras

As fibras, de acordo com Cook, se ligam a diversas substâncias nocivas nos intestinos e as “conduz” para fora do corpo. Dar preferência a grãos inteiros, aumentar o consumo de feijão, incluir amêndoas no cardápio e passar a consumir a linhaça são apenas alguns exemplos de como comer mais fibras.

2 – Dê preferência aos vegetais crus

Vegetais como o brócolis, a couve-flor e o repolho devem ser ingeridos preferencialmente crus. Quando cozidos, eles perdem grande parte de suas propriedades benéficas. Nesses casos, em particular, há uma grande concentração de índole-3-carbinol (I3C), que é um fitonutriente capaz de eliminar o excesso de estrogênio do corpo, diminuindo assim as chances de aparecimento do câncer.

3 – Reduza a presença de gordura animal na dieta

Em um estudo realizado no Reino Unido, a gordura de origem animal foi ligada a um maior aparecimento do câncer de mama e do câncer colo-retal.

4 – Aumente o consumo de ácidos graxos ômega 3

O ômega 3 combate as substâncias chamadas protaglandinas inflamatórias, que influenciam negativamente na capacidade do sistema imunológico para identificar tumores. O ômega 3 está presente na linhaça, no óleo de linhaça, em vários peixes e nas nozes cruas, por exemplo.

5 – Dê preferência a produtos orgânicos

Os agrotóxicos são apontados como responsáveis por diversas doenças – e não apenas o câncer de mama. Portanto, sempre que possível, tente consumir produtos orgânicos, cuja origem livre desses pesticidas seja comprovada.

6 – Fique atenta ao seu consumo de selênio

Uma pesquisa realizada na Universidade do Arizona aponta que a suplementação feita com selênio pode reduzir os riscos de câncer pela metade. O selênio pode ser encontrado em grande quantidade na castanha do Pará e, em menores quantidades, no salmão, no trigo, nas sementes de girassol e no fígado de boi, por exemplo.

7 – Beba chá verde

A epigalocatequina galato, substância abundantemente presente no chá verde, reduz os radicais livres e, com isso, faz cair as chances de aparecimento do câncer. Se você ainda não incluiu o chá verde na sua dieta – embora muito já tenha sido falado a respeito de seus benefícios para a saúde – essa é uma boa desculpa para fazê-lo.

Fonte: http://uipi.com.br/destaques/destaque-1/2014/10/08/7-maneiras-de-diminuir-os-riscos-de-desenvolver-cancer-de-mama/

________________________________________________________________________________________________________

FAÇA SUA PÓS-GRADUAÇÃO NO IEFAP

MAIS INFORMAÇÕES:

(44) 3123-6000 ou (44) 98813-1364 (WhatsApp)

contato@iefapcursos.com.br

Leia também